quarta-feira, 14 de julho de 2010

São Paulo à chegada

Lisboa ficou para trás e nem ousei olhar pela janela quando o avião descolou, rumo ao céu azul.
Hoje acordei com trovões e muita chuva a bater na janela. O sol de São Paulo não quis brilhar neste meu primeiro dia. Talvez esteja tímido, talvez seja cauteloso, talvez me queira fazer sofrer um bocadinho. As coisas boas não podem ser mostradas logo ao início porque depois já nada nos consegue surpreender.
A cidade não tem uma cara bonita, daquelas que nos prendem de imediato. É dura para quem chega habituada ao glamour e meiguice das cidades europeias. Ainda mais com este tempo cinzento...
Mas hoje foi o dia zero. Amanhã vou aventurar-me sozinha por aí, vou vestir o casaco e sair para a rua debaixo do meu guarda-chuva florido. E principalmente, vou ter sempre comigo as palavras que um dia escreveu Fernando Pessoa:

"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já têm a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmo lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-lo, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos."

Hoje, começou uma vida nova.

10 comentários:

Carlinha disse...

Querida Rita,

estas palavras emocionaram-me bem logo pela manhã.
Sei tão bem do que falas.

Eu chamo-lhe a sensação das paredes brancas. O primeiro dia numa cidade nova, um quarto novo, tudo vazio, sem coisas coladas na parede.

Vai enchendo a tua parede aos pouquinhos querida Rita.
As pessoas que estavam à tua espera nesses caminhos que te levavam aos mesmos lugares que dizia Pessoa, vão estar sempre lá. E aquilo que vais viver aí já ninguém to vai poder tirar no amanhã quando voltares a esses caminhos.

Por isso absorve tudo com a máxima intensidade que puderes, vive ao máximo, dá o máximo, sê o melhor de ti mesma! Quando os 6 meses passarem (e vão passar rápido, acredita) custar-te-á tão mais se o não tiveres feito.

Um beijinho enorme a acompanhar-te de sorte e força para os dias mais cinzentinhos como foi esse dia 0.

Que vejas a luz do sol em tudo o que fizeres.

Abraço amigo do outro lado do atlântico,
Carlinha

Teresa disse...

Feliz por ti, Rita :)

Clara disse...

aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhhhhhhh =D

esgana disse...

Como te disse ontem já ando a ter lições de Português do Brasil. Aqui te deixo a minha lição #1:

(BR) Sou foda!
(PT) Sou fantástico!

*

Alx disse...

já te estou a micar...

beijo grande... -volta daí ainda maior!!!

não saias é demais do armário... eheheheh

Alx disse...

já te estou a micar...

beijo grande... -volta daí ainda maior!!!

não saias é demais do armário... eheheheh

bipa disse...

muita merda!!!!!!! *

aestrelaquequeriavoar disse...

Oh que palavras mais doces e ao mesmo tempo tão sabidas cachopa mais linda!!...já com uma lágrima no olho...um abracinho do tamanho do atlântico *:D

Su :) disse...

Amiga, agora que ja estas desse lado do atlantico tao longe mas sempre perto do coraçao, vive tudo o que puderes e ate o que nao puderes. A vida passa num estalar de dedos e sao experiencias fantasicas como essa que nos fazem crescer, que nos fazem sUrrir, que nos transformam. Quando voltares podes dizer que es uma mulher nova, ainda que no intimo do teu ser continues a ser a nossa Ritinha maravilhosa! Saudades princesa. Ate ja***

Gambuzino disse...

começa todos os dias. Mas por vezes a mudança de ares ajuda a perceber isso. Romper os padrões, ousar e sair da zona do conforto! Que tudo te corra pelo melhor!
um grande beijinho querida Ritinha